RISCO OPERACIONAL – O QUE É?

Tempo de leitura: 2 minutos

De acordo com o dicionário, Risco é “possibilidade de perigo, incerto, porém previsível que ameaça de dano a pessoa ou a coisa”.

Risco operacional é então um risco de perda previsível, diga-se de passagem, resultante de falhas em processos internos, externos, de pessoas e sistemas que em conjunto formam a empresa.

Mas se é previsível… por que acontecem?

Apesar de ser possível sua mensuração, é muito difícil eliminar os riscos operacionais aos quais as empresas estão expostas. Tomamos como exemplo um posto de gasolina, os riscos são mais do que evidentes:

  1. O posto pode pegar fogo.
  2. Podem ocorrer assaltos ao caixa.
  3. O estoque de gasolina pode ser roubado
  4. O posto pode explodir!

Esses quatro itens são pontos que todos tem em mente do que pode acontecer de errado com um negócio como este, porém mesmo conhecendo estes problemas, todos eles podem ocorrer a qualquer momento e gerar perdas financeiras para a empresa.

Sabendo que os riscos operacionais existem o melhor que podemos fazer é tentar, através do mapeamento dos processos, identificar quais são os pontos mais vulneráveis nas operações de cada tipo de negócio e aplicar métodos de mitigação de risco.




 

Principais riscos:

Todas as empresas e negócios possuem seus riscos particulares, porém, muitas delas apresentam em comum os seguintes pontos de risco:

  • Infraestrutura: problemas relacionados ao espaço em que a empresa está situada são muito comuns. Desabamentos, enchentes, secas… todos estes são exemplos previsíveis (através de estudos sobre a região) e mesmo assim sempre causam perdas milionárias às empresas.

 

  • Pessoas: ao menos que a empresa demita todos seus funcionários e coloque robôs em seus lugares, pessoas serão sempre um fator de risco empresarial. Problemas com conflitos, corrupção e outros mais são características de quase toda empresa.

 

  • T.I.: a tecnologia da informação (T.I.) é com certeza um dos maiores problemas atuais das empresas. Muitas delas simplesmente param se não houver computadores conectados à Internet. Pense em um banco, por exemplo. Se o sistema de informações dele cair podem haver perdas tão grandes quanto um assalto milionário daqueles dos filmes.

 

  • Processos: conhecer o passo a passo de todos os processos de uma empresa é essencial para seu bom funcionamento. Do contas a pagar, passando pelo RH e na área de compras, entender como cada ação é realizada é o melhor modo de mitigar o risco de erros e de concentração de poder.

Mapeando e mitigando riscos

Na fórmula acima podemos ver que o risco é a soma do agente (pessoas, T.I.) + a ameaça em si + a vulnerabilidade da empresa frente a esta ameaça, tudo isso dividido pelo controle que a empresa possui. Conclusão, quanto mais controle a empresa tiver, menor será o seu risco total.

Abaixo podemos ver como mapear o risco de uma empresa:

O sucesso de um negócio passa antes pela percepção das falhas a que ele está vulnerável. Conhecendo os riscos, fica muito mais fácil de evitá-los.

Até a próxima!

Deixe uma resposta