Processo decisório.

Processo decisório.

Compartilhe

Quando uma empresa vai bem, seu faturamento está crescendo, seus produtos se tornando relevantes e o lucro no final dos períodos encontra-se cada vez maior nós costumamos elogiar o administrador ou administradores daquela empresa.

E quando a empresa está mal? Prejuízos constantes, queda no faturamento e crescimento do endividamento. Tudo isso também é de responsabilidade do administrador, porém desta vez nós o culpamos e dizemos que este é um mal profissional.

Em ambos os casos, tanto o mérito quando a culpa pelos resultados alcançados pela empresa é de responsabilidade daqueles que realizam a sua administração, ou seja, de quem participa dos processos decisórios das empresas.

Manda quem pode…

Ter o controle sobre o processo decisório de uma empresa significa que o administrador (seja sozinho ou com uma equipe) será responsável pela estratégia adotada pela companhia a fim de alcançar os melhores resultados que podem ser:

a) Ganho de market-share.
b) Crescimento do faturamento.
c) Lucratividade.
d) Entrada em novos mercados.
e) Outros

Independente da meta traçada, o objetivo é o mesmo: Alcançar o desafio proposto da maneira mais eficaz e no menor tempo possível.

“Mas Lívia, quais são os passos de um processo decisório?”

Tudo começa com o levantamento de informações pelas mais diversas áreas da empresa, repassando-as para os responsáveis pelo processo decisório. Com os dados em mãos, ocorre a identificação de uma necessidade ou problema a ser corrigido. Após a constatação do que deve ser priorizado no plano de ação, levantam-se as possíveis ideias para atingir o objetivo traçado.

E de onde vêm essas informações levantadas?

De vários lugares da empresa. Pode ser um relatório financeiro da tesouraria, uma análise SWOT da área de Marketing, uma análise da matriz BCG da área de produtos e outras mais.

E o que fazer com essas informações?

Com as ideias em mãos, aqueles que participam do comitê decisório realizarão um estudo aprofundado nas alternativas disponíveis para a resolução do mesmo problema levando em conta a melhor opção, observando itens como a) Tempo de execução, b) Custo de implementação da solução, c) Número de pessoas envolvidas, d) Chances de fracasso na resolução do problema e etc..

Os itens acima são imprescindíveis para que o comitê tenha conhecimento de quais alternativas levarão mais ou menos tempo, será mais ou menos custosa, trabalhosa e assim por diante. Dependendo da estratégia a ser adotada um item pode ser levado mais em conta que os demais.

Por fim vem a fase de decisão da estratégia selecionada para ser aquela que a empresa como um todo utilizará. O último passo do processo decisório consiste na escolha da estratégia e no seu desenvolvimento.

Lembrando que o processo decisório se restringe ao estudo e levantamento de dados que ajudem os administradores na criação de um plano de ação, sem chegar ao momento de sua real implementação.

Ainda que o processo decisório seja realizado na maioria das vezes pela alta gerência da empresa, não é incomum diversos níveis hierárquicos serem consultados ou até envolvidos na discussão de alternativas para a resolução de problemas ou implementação de metas, afinal, apesar de as ordens partirem dos níveis “mais altos” da empresa, são os empregados que as realizarão de fato.

(Clique aqui para aprender sobre o enpowerment, um modelo de gestão alternativo à tradicional hierarquia das empresas).

Bons líderes, boas estratégias.

Chega até ser repetitivo dizer uma coisa dessas, mas é importante ressaltar que a tomada de decisão correta parte quase sempre de bons líderes. Gestores e administradores de empresas que conhecem suas áreas, as atividades da empresa, o modus operandis da companhia e a sua missão, visão e valores tem uma grande probabilidade de alcançar as metas estipuladas durante o processo decisório.

A melhor maneira de envolver toda a companhia no que a empresa busca é através da motivação de seus colaboradores com técnicas como o endomarketing. Com todos voltados a um mesmo objetivo, é muito mais fácil cumprir a tarefa!

Você pode continuar lendo sobre Processos Decisórios, clique aqui e leia a parte dois desse artigo com os tipos de decisões dentro de uma empresa!!!

Se gostou não deixe de compartilhar. Até a próxima.

Compartilhe
Artigo anteriorBiblioteca em casa, O poder do hábito.
Próximo artigoRevolução industrial, parte 1.
Graduado em Ciências Contábeis, possui MBA em Investment Banking e está agora iniciando seu mestrado em economia. Atualmente trabalha no mercado financeiro e escreve os blogs com o objetivo de ajudar as pessoas a conhecerem um pouco mais acerca do mundo econômico, contábil e administrativo e sobre tudo o que isto implica.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta