Pirâmide de Maslow, as necessidades humanas.

Pirâmide de Maslow, as necessidades humanas.

Compartilhe

Durante o processo de planejamento de um novo produto ou a abertura de uma nova unidade, muitas empresas se deparam com a necessidade de analisar os itens que justifiquem a estratégia aplicada. Neste processo, dúvidas do tipo “Como atingir meu público-alvo?”, “Em que tipo de mercado atuar?” e “Como fazer meus clientes interagirem com a minha empresa?” aparecem na cabeça dos gestores e administradores da empresa.

Para sanar este tipo de dúvida, é muito comum o uso da Pirâmide de Maslow no estudo de comportamento do cliente, uma vez que ela categoriza as motivações dos indivíduos em diversos momentos da vida, passando pelo campo de necessidades mais básicas e vitais e chegando até a auto realização de um bom emprego e uma vida financeira confortável.

Aprender como cada cliente é impactado pelos seus anseios é um bom caminho para entender como preencher estas necessidades no momento certo, trazendo um market-share maior para sua empresa.

No artigo de hoje, entenderemos como funciona este processo. Vamos ao conteúdo.

A pirâmide das necessidades.

Só para falar um pouco sobre o autor desta teoria, Abraham Maslow era um psicólogo americano que viveu entre as décadas de 1910 e 1970. Focado em psicologia humanista fundamentou a teoria da pirâmide das necessidades, uma de suas teorias mais famosas.

Na teoria de Maslow nos é mostrado como o ser humano satisfaz suas necessidades através de uma hierarquia desenhada em uma pirâmide.

Começamos todos com necessidades básicas, como comer, dormir, respirar e etc. Quando satisfazemos uma necessidade automaticamente tendemos a ter outras necessidades, e por assim vai até alcançarmos o topo da pirâmide. Veja abaixo uma breve explicação de como reagimos em cada etapa da necessidade:

1- Necessidades básicas: são as necessidades que todo ser humano possui sendo ela a primeira linha da pirâmide, pois se não saciarmos estas necessidades temos um desconforto e isto nos impedirá de tal forma que não teremos outros anseios e não evoluiremos em nossas necessidades.

2- Necessidades de segurança: esta necessidade está relacionada ao nosso bem estar. Precisamos da segurança de um lar, segurança pessoal e financeira para nos sentirmos bem. O ser humano tem a tendência natural de querer se sentir protegido e resguardar sua vida.

3- Necessidades sociais: sentir se aceito em um grupo é o que a maior parte dos seres humanos deseja. Temos a necessidade de contato e interação social e isto engloba desde ao relacionamento no trabalho até um relacionamento amoroso e intimidade sexual.

4- Necessidade de estima: ser respeitado, reconhecido e bem recebido. Esta necessidade está ligada ao fato dos outros reconhecerem nossa capacidade frente ao que realizamos.

5- Necessidade de realização: a última etapa das necessidades humanas, a auto realização remete ao indivíduo estar satisfeito com seu posto alcançado e com a vida que leva. É a necessidade do auto contentamento.

Estas características possuem, segundo Maslow, uma ordem de ocorrência. Um indivíduo que atinge pleno contentamento com uma necessidade passa diretamente para a próxima.

Alguns estudiosos, porém, dizem que esta teoria é falha quando afirmam que dependendo do nível social de vida que uma pessoa leva, as necessidades podem ser fixadas somente nas bases, ou que a ordem das necessidades foge do modelo proposto por Maslow.

Independente da teoria, Maslow nos mostrou que o ser humano possui grupos interligados de necessidades e que tomamos decisões baseadas no momento em que estamos em cada etapa da necessidade. Por exemplo, uma pessoa que satisfaz suas necessidades básicas, já possui uma estabilidade no emprego e é aceito na sociedade claramente irá buscar uma posição de reconhecimento e estima.

Aplicação prática de Maslow

Cabe às empresas entenderem o conceito de consumo por necessidade e aplicar sua estratégia em cada uma das situações. Empresas que trabalham com produtos mais básicos e que atendam a base da pirâmide tendem a apelar em estratégias as quais foque a necessidade do consumo imediato e, portanto, investem em planos de cobertura de grandes áreas, sem pensar tanto em sofisticação ou exclusividade.

Com o passar das etapas, quando os clientes se tornam mais rigorosos e criteriosos com a escolha de seus produtos, as empresas que atendem este tipo de segmento devem focar no envio de uma mensagem que demonstre ao cliente um produto de qualidade e com teor de exclusividade, uma vez que remeterá justamente a patamares mais elevados de necessidades como as necessidades sociais onde a aparência e o status têm grande peso e necessidades de estima, com clientes dando maior relevância ao prazer pessoal no consumo.

Com este tipo de leitura e levando em conta as características de seu público-alvo, a empresa pode elaborar uma estratégia para abordar os clientes certos no momento certo e assim, alcançar uma maior conversão de vendas.

Então é isto. Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta