PENSADORES – MAX WEBER.

Tempo de leitura: 5 minutos

Dando continuidade à série de grandes pensadores que mudaram o mundo, onde já falamos sobre Henry Fayol (clique aqui para ler), vamos abordar na segunda parte sobre Max Weber e sua teoria sobre a administração pública.

O começo

Com seu complicado nome em alemão Karl Emil Maximilian Weber, mais conhecido como Max Weber, nasceu em 1864 no Reino da Prússia (atual Alemanha).

Seu pai, também chamado Max Weber, era um importante membro do Partido Nacional Liberal, um partido criado no séc XIX com raízes liberalistas. Desde cedo, Max e seus irmãos foram incentivados pela família às áreas intelectuais, o que posteriormente o ajudou a prosseguir na vida acadêmica.

Logo aos 18 anos, Weber iniciou seus estudos em Direito na Universidade de Heidelberg, porém não se limitou a essa área do conhecimento, passando por economia, história, política e também teologia.

Com vinte e cinco anos, já possuía um doutorado com dupla habilitação em história do direito e economia. A partir da conquista de seu doutorado, passou por diversas universidades por toda a Europa ensinando principalmente economia.

Após ter abandonado a carreira de professor, Weber trabalhou na diretoria de uma revista política, onde publicou uma de suas maiores obras: “A ética protestante e o espírito do capitalismo”, um livro que estuda as origens da religião, capitalismo, filosofia e quais as relações entre estes temas.

Após a publicação do livro, viajou aos Estados Unidos onde dedicou-se exclusivamente ao estudo de temas como direito, economia, religião, filosofia e sociologia, desenvolvendo diversos estudos.




 

Suas teorias

Weber sempre esteve muito ativo na vida pública do governo de seu país, sendo um reconhecido advogado e economista na época. Prova de que ele fazia parte da elite intelectual da Alemanha foi a participação na criação da Constituição do Estado Alemão, bem como o Tratado de Versalhes, um tratado de paz assinado pelas grandes potências europeias após o fim da Primeira Guerra Mundial.

No campo da administração, seus principais estudos estavam relacionados sobre a administração no setor público, o qual ele teve bastante contato, desenvolvendo sua teoria das organizações. Weber dizia que os seres humanos se organizavam em grupos sociais de duas formas:

a) Grupos sociais primários:

Baseado em contato social informal como família, parentes em geral e amigos, onde não haviam restrições de cargos, hierarquias e as pessoas podiam entrar e sair voluntariamente destes “círculos sociais” sem a preocupação com regulamentos e contratos.

b) Grupos sociais secundários:

Baseado em grupos formais entre pessoas que podem ou não possuir contato social, como empresas e organizações. Nesse tipo de grupo, geralmente há contratos com termos que especificam a entrada (contratação) e saída (demissão) de seus membros, tornando o processo formal e burocrático.

Falando em burocracia, Weber defendia que boas instituições deveriam ter seus processos baseados em procedimentos minimamente detalhados a fim de trazer maior controle aos administradores das instituições, quando estes conhecem todas as características do processo. Para ele, as instituições deveriam ter três aspectos fundamentais:

1º) Profissionalismo: uma empresa bem estruturada deve possuir um sistema de hierarquia bem definido onde seus trabalhadores estão alocados conforme sua capacidade técnica, obedecendo as regras e preceitos estipulado pela empresa.

2º) Formalidade: constituem as normas formais da empresas como seu regulamento e estatuto os quais possuem os preceitos das instituições, bem como os direitos e deveres daqueles que fazem parte dela.

3º) Impessoalidade: os cargos devem ser escolhidos conforme as características profissionais dos candidatos à vaga, não devendo ser levados em conta aspectos informais como personalidade e carisma. A competência deve estar acima do relacionamento.

Sob estas três regras, as empresas estariam aptas a crescer com o foco voltado para a eficiência com um rígido conjunto de normas. Segundo os conceitos da teoria da burocracia os funcionários não responderiam de forma hierárquica a uma pessoa (no caso o chefe) e sim ao próprio sistema de regras da empresa, escrito através de contratos sociais que regem a empresa.

Todas as etapas, processos e tomadas de decisões de uma empresa burocrática devem ser realizadas em rotinas pré-estipuladas e estar documentada, redigida e assinada pelos responsáveis para que seja validado o processo. De acordo com Weber, a formalização de processos leva os funcionários a errarem menos e com isso desperdiçar menos recursos (tempo, dinheiro, intelecto).

Compara-se o processo administrativo burocrático a um processo produtivo de uma fábrica, onde cada funcionário é responsável por uma pequena peça de um todo, devendo ser realizado o melhor trabalho individual possível para que o resultado final seja positivo.




 

Críticas às ideias de Max Weber.

Como muitos sabem, o termo “burocracia” está popularmente atrelado a uma coisa ruim, lenta, devagar e cheia de regras, tornando o processo demorado e ineficiente. O excesso de papeis e da necessidade de assinaturas e carimbos em todas as transações são historicamente um problema para a maioria das empresas.

Além disso, acusa-se que uma empresa extremamente burocrática tende a não ver seus funcionários como pessoas e sim como meros números que correspondem a uma função, sendo facilmente substituíveis por outros funcionários com qualificação semelhante.

Reclama-se também do “engessamento” da estrutura de algumas empresas onde funcionários com mais “tempo de casa” tendem a ser promovidos com o passar dos anos baseado em um sistema de promoção por competência aliado a anos dedicados à empresa, o que desestimula os funcionários mais jovens a querer permanecer na empresa.

Entretanto, segundo os preceitos de Weber, a burocracia é totalmente diferente deste processo lento, sendo de fato algo parametrizado e bem definido para alcançar o melhor resultado (mesmo com diversas etapas para a conclusão de um processo).

Então é isso! Agora você já sabe um pouco mais o grande pensador Max Weber e quais suas principais ideias teóricas que contribuíram para a evolução do mundo da Administração. Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

Deixe uma resposta