Estrutura organizacional – O que é?

Estrutura organizacional – O que é?

Compartilhe

Toda empresa possui algumas características em comum. Mesas e cadeiras para o pessoal poder trabalhar, um monte de computadores, chefes e funcionários e um monte de processos.

Mas o que, dentre estas e outras características, torna uma empresa verdadeiramente uma companhia? A resposta para esta pergunta está no tema do artigo de hoje: a estrutura organizacional.

Estrutura organizacional, as bases da empresa.

A estrutura organizacional de uma empresa é a ligação na qual os diversos membros de uma companhia se relacionam de forma organizada e estratégica. Uma estrutura organizacional bem desenhada possui de forma clara e concisa quais são seus “postos” e quem está alocado em cada um deles, podendo haver uma relação hierárquica ou não.

Para termos ideia de como pode ser construída uma estrutura organizacional, podemos separá-las em dois blocos:

a) Hierárquica (formal): uma estrutura hierárquica tende a ser mais rigorosa no papel que cada um de seus funcionários desempenham, sendo ela dividida em cargos bem definidos os quais possuem sua autoridade perante os “andares” abaixo deles.

b) Liberal (informal): as estruturas liberais advém de novas práticas administrativas das empresas que nasceram a partir do séc XXI, principalmente as empresas de tecnologia e as startups, conhecidas por serem mais dinâmicas e ágeis em sua maneira de administrar seus processos.

Um famoso exemplo de uma estrutura liberal é o empowerment, um modelo desenhado para que todos os colaboradores de uma empresa possuam voz ativa na gestão da companhia.

(Nós já escrevemos um artigo sobre o empowerment, podendo ser ele lido clicando aqui).

Vale lembrar ainda que não existe uma estrutura perfeita e padrão para todo tipo de empresa. Algumas podem precisar de uma gestão mais “linha dura” com o controle das atividades bem desenhados e sob o controle de uma forte administração principal.

Um bom exemplo disso são os bancos que, além de terem de ter cuidado redobrado por cuidar do dinheiro de milhares de correntistas, são fiscalizados por instituições financeiras responsáveis pela manutenção de um sistema econômico, como o BACEN ou a CVM. Estes tipos de empresas seguem tantas regras que seria quase impossível ter uma estrutura mais aberta, como no modelo liberal.

Já em empresas de tecnologia que estão programando uma nova ideia, seria muito burocrático ter uma estrutura organizacional onde cada operação precisa responder a um CEO ou a um gerente para ser executada. Desse modo muitas boas ideias poderiam ser perdidas ou ultrapassadas pelos concorrentes, pelo simples fato de o processo ser extremamente burocrático.

Setorização, departamentalização e a comunicação.

Os três “çãos” no título são vieses que podem direcionar a sua empresa a escolher determinado tipo de estrutura organizacional para atender a sua demanda.

Um bom primeiro passo para sua empresa montar uma boa estrutura organizacional é “quebrando” seu todo em pequenas partes, tendo assim maior controle sobre o que está acontecendo.

Vamos imaginar uma empresa que fabrica peças para motos. Imagine agora que dentro dessa empresa existam milhares de processos feitos de forma bagunçada e sem nenhuma integração, resultando relatórios que demonstrem descontrole financeiro para os diretores e presidentes.

Cansados de perder dinheiro, eles decidem então aplicar as boas práticas de gestão através da elaboração de um organograma, dividindo o todo em pequenos “braços” para uma gestão mais clara e simplificada.

A primeira coisa a se fazer é a divisão das áreas em setores, conhecida como setorização. No nosso exemplo, uma indústria de peças para motos teriam as partes de:

  1. Produção
  2. Administrativo
  3. Recursos humanos
  4. Financeiro
  5. Comercial

Agora nós já temos cinco partes mais visíveis onde podemos trabalhar e identificar processos falhos e pontos a corrigir. A segunda parte é quebrar estes setores em departamentos (departamentalização). Na segunda etapa o organograma ficaria mais ou menos assim:

1) Produção

a. Escapamentos
b. Motor
c. Correia

2) Administrativo

a. Logística
b. Compras
c. T.I.

3) Recursos humanos

a. Salários a pagar
b. Contratações/demissões

4) Financeiro

a. Contas a pagar
b. Contas a receber

5) Comercial

a. Vendas regionais
b. Vendas nacionais
c. Vendas internacionais

Abrindo cada setor em um departamento podemos atuar de forma direta em cada área a fim de otimizar processos burocráticos e trazer qualidade à administração da companhia.

organograma

Por fim, a comunicação é a parte mais importante de todo o processo, quando uma empresa necessita de conversação entre as áreas para que toda a empresa flua em um único objetivo comum.

De nada adianta estruturar um bom organograma, porém não trazer clareza sobre quais são os objetivos que a alta cúpula da administração pretende atingir. Somente deste modo, com comunicação, os funcionários de uma empresa podem chegar à excelência.

Então é isso ai! Agora você tem vários motivos para montar uma estrutura organizacional dentro de sua empresa.

Se gostou do artigo, compartilhe ele com os amigos! Até a próxima.

Compartilhe
Artigo anteriorDivisão do trabalho - O que é? Como fazer?
Próximo artigoPensadores, Douglas Mcgregor.
Graduado em Ciências Contábeis, possui MBA em Investment Banking e está agora iniciando seu mestrado em economia. Atualmente trabalha no mercado financeiro e escreve os blogs com o objetivo de ajudar as pessoas a conhecerem um pouco mais acerca do mundo econômico, contábil e administrativo e sobre tudo o que isto implica.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta