Estratégia de negócios

Tempo de leitura: 3 minutos

Quando uma empresa inicia suas atividades são necessários alguns pontos que devem estar bem claros para todos seus funcionários e sócios. Após o entendimento por todos do modo que a empresa irá funcionar é a hora de colocar a mão na massa.

Mas ano vai, ano vem, lucro vai e lucro vem, e a empresa pode encontrar-se em um estado de estagnação. Não cresce o faturamento, não aumenta sua participação no mercado e não consegue mais lucrar como antigamente.

Nestas horas muitos empreendedores não conseguem entender o que aconteceu, já que tem feito às mesmas coisas que antigamente e manteve tudo como estava.

Este pode ser o erro da empresa. Não inovar e não acompanhar as mudanças do mercado pode transformar uma grande potência em história e passado. Nestas horas é a que os donos devem refazer sua estratégia de negócios.

Certo ou Errado. Isso existe?

Muitos estudos já demonstraram que não existe estratégia certa ou errada. Cada empresa tem um modo de estruturar o caminho que pretende seguir. Agora, se o caminho será alcançado é outra história.




 

Quando uma empresa está definindo sua estratégia, ela deve atentar-se no modo de construir um plano de negócios para que todos os pontos importantes sejam abordados. Alguns desses pontos estão destacados abaixo:

  • O que eu vendo: maças, carros, computadores, serviços de limpeza, consultorias. Deixar bem claro o produto da empresa é a forma mais eficaz de focar no que deve ser feito.

 

  • Para quem vendo: jovens, crianças, classe C, público frequentador de bares, donas de casa. Saber quem é seu alvo ajuda a desenvolver métodos de marketing que capture a atenção do seu público, mas lembre-se: tenha sempre um público bem definido. Atacar todos e tudo ao mesmo tempo geralmente é um desperdício de tempo, energia e dinheiro.

 

  • Como eu vendo: definido o que, e para quem eu vendo, é a hora de concentrar os neurônios para desenvolver a estratégia de operação da empresa alinhando qualidade com custos e despesas cabíveis ao porte da sua empresa.

Modus operandis, como se faz?

Saber como você irá operar a sua empresa é o modo mais rápido de atingir seus objetivos. Se tudo começa com uma boa estratégia (de vendas, de marketing, tributária), você deve ter em mente como atacar todas as frentes de modo eficiente.

Infelizmente na maioria das vezes nós só aprendemos errando, porém, no mundo empresarial errar pode significar a falência da empresa. Nesse caso temos que logo de cara elaborar um plano A e um plano B. Ter um plano principal e um contra plano é como você pode lidar com as adversidades do negócio que está construindo.

E o que você mais vai ouvir por ai é que deve criar um modo inovador e diferenciado de gestão para não ser mais um entre os que já existem. Bem, essa frase é só parcialmente correta. No mundo empresarial, inovação depende do ramo em que você atua.




 

Ao tentar criar uma nova empresa de tecnologia copiando as que já existem, é mais do que óbvio o resultado: falência. No entanto, se estamos entrando em um negócio em que já existem diversas estratégias eficazes, devemos mesmo tentar criar uma nova do nada?

A frase “Nada se cria, nada se perde. Tudo se transforma” é mais do que correta.

No livro Sonho Grande, o grande empresário Jorge Paulo Leeman ao administrar diversas empresas, vai atrás de grandes marcas já estabelecidas no mercado mundial para fazer sabe o que? Copiar tudo o que elas fazem.

Ele aprende a fundo como as grandes chegaram lá, muda uma coisa aqui outra ali e replica as mesmas estratégias em seus negócios. Se gostou da dica compartilhe com os amigos!

Até a próxima!

Deixe uma resposta